segunda-feira, 5 de julho de 2010

O SEGUNDO DIA - 20/06/2010 - Primeiro boletim.



Uma noite bem dormida no Hotel de D. Dalva, com o cansaço que chegamos na verdade é um verdadeiro capote.
Acordamos às 3:00h e fomos para a cozinha, D. Dalva havia deixado o café pronto, pão com "mortandela" , xiringa e por aí vai...
Saímos de Jânio Quadros às 4:30h com destino a Guajeru, uma madrugada fria e a caatinga com seus sons pitorescos nos abençoava juntamente com a alvorada que despontava a cada instante.
Pássaros, galos, cachorros, uma verdadeira sinfonia, e fomos seguindo.
Numa descida mais íngreme, soltei o "608", embalei e dei uma derrapada num "fofó"(terra solta parecendo um talco, típica de quando as estradas de latosolo são patroladas na sêca). Aí foi chão certo, e o medo era quem vinha atrás passar por cima de mim, por sorte Rubederrê desviou a tempo e só restou mesmo uma lixada no joelho ainda no lusco fusco.
Logo à frente mais um pneu furado e chegamos a Serra Escura para uma parada e encontrar os outros companheiros, menos Paulão que mais uma vez foi na frente sozinho, agora não mais nos preocupamos com ele.
Um pão com "mortandela", uma resenhazinha e curvamos em direção a Guajeru.

BONS GIROS, ATÉ O PRÓXIMO BOLETIM!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

O PRIMEIRO DIA - 19/06/2010 - Quarto boletim.

Saímos de Maetinga as 15:15h sem Paulão, o cara realmente desapareceu.
A saída de Maetinga para Jânio Quadros é uma subida de responsa, já começamos o trecho aquecendo para percorrer aproximadamente 30 Km da última pedalada do dia, mas depois de 100 Km qualquer pedalzinho de 30 Km se torna um http://www.ironbiker.com.br/ .
Para os menos condicionados esse final do dia é realmente penoso, mas todos seguiram firmes e fortes. A estrada continuava um cascalho grosso e cheio de "costelas de jega" como anteriormente, na verdade é a base de onde onde um dia asfaltaram para enganar eleitores. Seguimos a maior parte do percurso pela estrada antiga, paralela a principal, porém cheio de areião.
Paramos na Tatarena clássica na beira da estrada e fizemos algumas fotos em homenagem ao nosso companheiro Álber Rezende, que veio o ano passado e não teve condições técnicas de repetir esse ano o prazer. Dessa parada, como já funcionava meu Oi, liguei para o Hotel de D. Dalva em Jânio Quadros para saber de Paulão, a "telefonista" me confirmou que havia chegado um ciclista de bigode morto de cansado. Uffa!!!! que alívio!!! O cara estava vivo!!!
Finalmente chegamos a Jânio Quadros as 17:30h e ficamos, eu e Guh, na entrada da cidade aguardando os últimos bikers, ao lado uma foto do horizonte ao sul-sueste com o Morro de Condeúba e o típico final de tarde caatingueiro; que coisa linda!!!
Daí partimos para o abraço de D. Dalva, essa empresária do segmento hoteleiro no Sertão baiano que faz as vezes das clássicas Senhoras de Hotéis como D. Lia, D. Preta, D. Augusta, D. Jove e por aí vai, poderia dar uma palestra em qualquer rede internacional sobre excelência em atendimento, até bermuda e camisa do flamengo arrumou para Júnior, Tandrilax para Elzevir e uma suíte para as bicicletas.
No Hotel, um bando endofirnado invadiu a rotina dos outros hóspedes e da "tripulação", muita resenha depois de um belo banho e um jantar maravilhoso com muito, mas muito carboidrato. Após o jantar, por volta das 19:30h os "mininos" foram desabando sobre os colchões de D. Dalva sabendo que às 3:00h teríamos de sair da cama para mais 70 Km de estradas mais gostosas.


Abraços, até o próximo boletim, O SEGUNDO DIA DA CICLOCAATINGA 2010.




BONS GIROS!!!